quinta-feira, 13 de abril de 2017

XVII CONVÍVIO ANUAL DA CCS DO BATALHÃO DE CAÇADORES 4611/72 - 43º ANIVERSÁRIO DO REGRESSO (1ª PARTE)

(Por Luís Marques)


No próximo dia 3 de Junho de 2017, sábado, realiza-se o XVII Convívio Anual dos ex-militares da C.C.S. do Batalhão de Caçadores 4611/72.
Este convívio assinala igualmente o 45º aniversário da partida para Angola e o 43º aniversário do nosso regresso ao M’puto, no dia 17 de Novembro de 1974.

(clica para aumentar)


A comemoração terá lugar no restaurante "O Casarão", localizado em Azóia, Leiria, na Estrada de Maceira, nº 10, bem perto do IC2 (EN nº1) entre Leiria e Batalha (coordenadas: latitude N 39o 42’ 54,15’’ / Longitude W 8o 49’ 55,93’’) e a responsabilidade pela organização está a cargo do habitual duo de “operacionais”, Carlos Rocha  e João Cunha.


(Clica para aumentar)


Quanto à ementa, ela será de fazer crescer água na boca, como poderão ver: 

(clica para aumentar)


E o local escolhido é bem aprazível, como poderão observar







O ponto de encontro das “tropas” será no parque de estacionamento do próprio restaurante “ O Casarão”



Exortam-se todos os nossos antigos camaradas da C.C.S. e suas famílias a participarem neste encontro, bem como todos os restantes antigos militares do Batalhão e todos aqueles que de qualquer maneira estão relacionados connosco ou com o Batalhão 4611/72.
Verão que será um dia bem passado e uma oportunidade de reverem antigos camaradas que partilharam dois anos de vida em comum por terras de Angola.






 Como se disse atrás a Comissão Organizadora é composta por:

 - Carlos Rocha       telemóvel 966301638, email: carlos.j.rocha@hotmail.com;
 - João Cunha         telemóvel 962610905, email: joaofrcunha@hotmail.com.

Aqui podem encontrar o anúncio do nosso convívio no portal dos Veteranos da Guerra do Ultramar ( http://ultramar.terraweb.biz/ ).


quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Carlos Madeira

(Por Luís Marques)

 "Os amigos não morrem: andam por aí,
 entram por nós dentro quando menos se espera e então tudo muda: 
desarrumam o passado, desarrumam o presente, 
instalam-se com um sorriso num canto nosso e é como se nunca tivessem partido. 
É como, não: nunca partiram".
António Lobo Antunes, Novembro de 2012


Carlos Madeira


Há poucos minutos o Artur Girão foi portador de uma notícia daquelas que nunca queremos transmitir, daquelas que nunca queremos ouvir.

Girão e o Carlos Madeira

O nosso amigo e camarada Carlos Madeira faleceu esta manhã.
Recebida de chofre esta triste notícia, ainda me custa acreditar nela, mas a verdade brutal é mesmo essa: o Carlos Madeira deixou o nosso convívio pelas 7 da manhã de hoje.
Onde quer que esteja que a sua alma que descanse em paz.
O Carlos não resistiu a mais um ataque fulminante do seu coração…


Luís Marques e o Carlos Madeira no Convívio da 3ª Companhia em Novembro de 2012 na Figueira da Foz.

Recordo dele a sua alegria, a sua boa disposição e o abraço sempre amigo que distribuía por todos nós.

O António Facas e o Carlos Madeira

Onde quer que estejas, Carlos que a tua alma que descanse em paz. Um dia iremos reencontrar-nos e então reiniciaremos o que a tua partida interrompeu.



À Cristina e a toda a família o nosso sinceros respeito pela perda irreparável.
Deixo aqui dois vídeos que o Carlos Madeira realizou como homenagem a todos os seus camaradas de armas da 3ª Companhia. 




terça-feira, 30 de agosto de 2016

CONVÍVIO ANUAL DO BATALHÃO DE CAÇADORES 4611/72 (2ª PARTE)

(Por Luís Marques)


Fátima, sábado, dia 11 de Junho de 2016.
Ainda não foi o desejado convívio anual que reunisse todas as quatro companhias da Batalhão de Caçadores 4611/72, mas andou lá perto.
Nesse dia, em Fátima, reuniram-se os antigos militares das 2ª, 3ª Companhia e ainda da C.C.S. do nosso Batalhão.
A 1ª Companhia não esteve presente neste encontro por já ter o seu marcado desde Junho de 2015. No seu convívio em Santiago do Cacém apontaram baterias para a Vila de Baião no distrito do Porto. Comotal, não puderam dizer presente.
Talvez no próximo ano se possam reunir as quatro companhias num só convívio. Seria o desejável.
Em primeiro lugar há que dar os parabéns aos camaradas que levaram a cabo a tarefa de procurar reunir deste convívio o maior número de participantes das três companhias, o João Cunha e o Carlos Rocha por parte da C.C.S., o Orlando Romão, o Agostinho Margalho e o Armando Malheiro por parte da 2ª Companhia e o Manuel Brazão por parte da 3ª Companhia.
Sabemos que não é fácil organizar um convívio apenas com uma Companhia, pelo que é muito mais difícil organizar e coordenar um convívio que reúna três ou mais Companhias. Há muita coisa para tratar, muita coisa para coordenar em conjunto para que tudo bata certo na altura própria.
E por mais que se combine, por mais que se procure acertar a agulhas de maneira a tudo correr bem, chegada a hora há sempre alguma coisa que não fica de acordo com o que se combinou, com aquilo que se previu. Quase sempre por culpa da entidade com quem se contratou a realização do evento. Mas infelizmente são os camaradas que deram o seu melhor e dispuseram do seu tempo em prol da organização do convívio que são os alvos das queixas. Sempre foi assim e assim será no futuro.
Infelizmente, pelas mais variadas razões que não interessa agora aqui analisar, cada vez mais a participação neste tipo de convívios tem tendência a ser mais reduzida. É um fenómeno generalizado e transversal de todos os ex-combatentes e não apenas nosso.
Esta situação tem conduzido a uma cada vez menor participação de ex-militares nos vários convívios. Daí que o caminho a seguir terá inevitavelmente de ser o da organização de convívios que abarquem as quatro Companhias do nosso Batalhão.
Já nos conhecemos suficientemente bem e mantemos amizades com muitos camaradas de todas as Companhias para deixar que assim não seja no futuro.
Mas voltando ao nosso Convívio de Fátima, temos de dizer que o mesmo decorreu num ambiente de franca alegria.
Depois de uns instantes de algum retraimento por parte de camaradas que não tinham grande conhecimento sobre quem era quem, por alguns pela primeira vez terem estado em contacto com camaradas das restantes companhias, rapidamente se passou para a franca confraternização entre todos que durou o resto da tarde.
Uma palavra de saudação para os elementos sempre presente do chamado Pelotão de Apoio Direto, sem as quais estes convívios não seriam possíveis, pelo menos com a descontracção e despreocupação com que os mesmos decorrem.
Quero ainda apresentar em meu nome pessoal as minhas desculpas pela publicação tardia da reportagem do convívio ocorrido há mais de dois meses. Apresento como justificação o facto de não dispor de fotos do convívio. Pedi a alguns camaradas que elas me fossem enviadas o mais cedo possível, mas infelizmente tal não aconteceu. Perante esta situação tive de andar a recolher as fotos um pouco por aqui e por ali.

Mas vamos dar lugar às fotos pois a conversa já vai longa.
Peço ainda perdão por faltarem alguns nomes nas legendas das fotos que publico, mas apesar do esforço feito não consigo recordar o nome de todos. Se alguém quiser ajudar, agradeço.


O Santuário de Fátima visto da sala onde decorreu o nosso convívio do Hotel São Nuno



Imagens da missa por alma dos camaradas falecidos celebrada na capela do Hotel São Nuno




O Zé Manel Francês dirigindo uma palavras de saudação aos participante no convívio




O Conjunto que animou o convívio


Diogo, Ana (convidados) a Fernando Brito e o António José Brito 

Luís Marques

João Novo

Jaime Ferreira

Constantino a fazer uma careta. Mais atrás o Fortunato Santos

Os mesmos, mas desta vez sem careta

O Fernando (Setúbal) ao centro acompanhado de dois outros camaradas

Soares, Leite e o Manuel Figueira

Maria Helena Duarte e Manuela Brazão

De frente, o Figueiredo

O Sousa e mais dois camaradas da 2ª Companhia


O Fernando (Setúbal)


António Brito, Álvaro Godinho, Duarte

Fernando Moreira, Eduardo Read, Orlando  Romão e Armando Malheiro

João Cunha, António José Brito e o Carlos Rocha


Ao centro o Eduardo Pinto
Maria Helena Duarte e Manuela Brazão




Os músicos que animaram o Convívio



António Brito, Álvaro Godinho, Duarte



Imagens da confraternização que se seguiu ao almoço

O bolo comemorativo da Convívio,

BATALHÃO DE CAÇADORES 4611/72

BATALHÃO DE CAÇADORES 4611/72
conduta brava e em tudo distinta