segunda-feira, 9 de março de 2009

FAZENDA TENTATIVA (1974)

(Por Luís Marques)





No passadio dia 2 deste mês de Março, foi enviada uma mensagem para a caixa de correio associada ao blogue Fórum 4611 ( forum4611@gmail.com ).
Trata-se de uma mensagem de uma senhora, Patrícia Lara de seu nome, residente na Reino Unido, que nos perguntava se havíamos conhecido, durante a nossa passagem pela Fazenda Tentativa, seu pai, Liberto Sousa Lara, ou seu avô, António Sousa Lara.
Seu pai morrera era ela pequena, mas guardou na memória as histórias que ele lhe contava sobre a Fazenda Tentativa. Infelizmente perdeu todo o contacto com a família paterna e perguntávamos se por acaso conhecíamos alguém ligado à sua família a quem pudéssemos entregar o seu contacto.
Infelizmente, tanto quanto nos foi possível apurar junto de alguns de nós, não nos recordamos quer de seu pai quer de seu avô.
Contudo tínhamos todas as razões para nos recordar, pelo menos de seu avô, António Sousa Lara, pois ele foi nem mais nem menos O DONO DA FAZENDA TENTATIVA, no tempo em que nós permanecemos lá estacionados, em 1973 e 1974.
A prová-lo, apresento a seguir um excerto retirado de uma página da Internet, do próprio “Jornal de Angola”: ( http://www.jornaldeangola.com/artigo.php?ID=9739 )

A Fazenda Tentativa em 1974

"Memória



Segundo, Marcos Jorge, o ano de 1973, foi excelente para a agricultura em Angola, no açúcar e nas demais culturas, favorecidas pelas condições climáticas e pluviométricas que se registaram naquela altura.
Nesse ano, a “Açucareira 4 de Fevereiro” atingiu o índice de produção mais alto de toda a sua história, chegando a atingir a cifra de 23 mil toneladas.
A média das campanhas anteriores era de 15 mil toneladas ano, cifra que foi baixando até alcançar por altura da independência nacional, 2 mil toneladas na última campanha realizada em 1991.
Este fracasso deveu-se também à falta de peças sobressalentes para reposição, cujos stocks em armazém haviam terminado, bem como o avançado estado de degradação da maquinaria.
A Companhia de Açúcar de Angola, actual “Açucareira 4 de Fevereiro”, que incluía a Açucareira de Caxito, “Fazenda Tentativa”, assim como o Marcos Canaveses na região do Cubal, área reservada à produção de sisal, Luacho e Caxito (Fábrica de óleo de palma e sabão), Cuio (Pescaria e Porto), eram propriedades de António Sousa Lara.
Em 1974, essas propriedades foram vendidas ao Grupo Espírito Santo. Nessa altura já existiam projectos para ampliação da fábrica e da área de produção de cana-de-açúcar, isto, porque naquela época já se fazia sentir o custo de produção muito alto e havia necessidade de se fazer rentabilizar a fábrica, dotando-a de uma maior capacidade de moeda e maior extensão de cana-de-açúcar, uma vez que viavelmente e economicamente, já não existiam fábricas com aquele tamanho.“
Neste caso, nós somos privilegiados, porque podemos expandir a nossa fábrica, o que já não acontece com a fábrica da Catumbela que tem uma área limitada, visto que a mesma se encontra no meio das cidades do Lobito/Benguela,” asseverou, o director adjunto da “Açucareira 4 de Fevereiro”.
A nossa área de total, acrescentou, é de 15 mil hectares. Desses 15 mil hectares há uma área não cultivável, por possuir zonas montanhosas, com problemas de salinidade, fertilidade necessária, entre outros aspectos técnicos.“
Eu pessoalmente, acredito que se possam aproveitar até 10 mil hectares. Mas se a empresa que vier para aqui tiver capacidade para fazer o tratamento que o solo necessita, talvez seja possível alcançar os 12 mil hectares,” rematou,
Marcos Jorge.A empresa teve sempre uma média de 3 mil e 500 trabalhadores. Mais tarde, com a introdução da mecanização no que respeita a transportação de cana e carregamento, reduziu-se para 2 mil e 500 até‚ altura da sua paralisação, em 1991."


A Fazenda Tentativa, actualmente

10 comentários:

José M Francês disse...

Mais um excelente trabalho do Luis.
Na procura de elementos para enriquecimento do Nosso BLOGUE !
Com o contacto que foi recebido, e do qual lamentamos não haver lembrança sobre a Familia Lara, acabamos por descobrir que a Familia foi proprietária da Fazenda Tentativa na época. Penso que, se fossem vivos, quer o saudoso Capitão Ferreira, quer o Comandante teriam seguramente, hoje uma palavra a dizer...
Estive lá no "meu" hospital da Tentativa, uma ou mais vezes com civis que eram da Administração da Fazenda... Talvez, numa dessas visitas recebidas me tenha cruzado com a Familia Lara.
No entanto o tempo passa célere e não nos deixa a totalidade das lembranças.

Manuel Lara disse...

Bom dia Luis Marques,

Tambem servi em Luanda no Agrupamento de Engenharia de Angola como Oficial miliciano entre 1972 a Agosto de 74, mas o que me leva a contactá lo foi a descriçao da Vossa passagem pela zona da Tentativa/Caxito assim como o contacto que vos chegou de Londres da Patricia Lara pois pertenço á familia Lara.
Manuel Lara

Anónimo disse...

Alguem conheceu algum Sr. Almeida funcionário da Tentativa?

RuiP

Anónimo disse...

Que emoção ao ler todas estas informações! Eu nasci no Hospital da Fazenda Tentativa em 1965. O meu pai trabalhou nesta Fazenda de 1962 a 1975, altura em que regressou a Portugal. C. Mesquita

Anónimo disse...

O sr. Almeida tinha pelo menos duas filhas: a Irene e a Natália.

Antonio Aguiar disse...

Eu tambem trabalhei na fazenda tentativa de profissao tractorita desde 1968 ate 1972 Conheco bem o sr. Almeida pai da irene e da natalia ainda solteira eu era muito amigo do irmao dela que se chamava joao almeida peixoto, tambem conheci o mesquita que era capataz do campo,aonde andara a mila filha do sr. braganca o vasco que estudava em luanda o Alvaro eo gil filhos do sr. Joaquim , que saudades que tenho de toda a malta,sou o acoriano a. aguiar que dormia num quarto emcima da camtina assim como tambem o joaquim barbas primo do fernando barbas um abraco para todos os amigos que lerem este email

Justino guedes disse...

chamo-me Justino Santos tenho lido o vosso blogue, sou angolano de Luanda estou a fazer um estudo sobre a fazenda tentativa especialmente a açucareira, gostaria de saber do papel da mulheres que trabalhavam na fabrica e quanto ganhavam? espero que me possam ajudar o meu email: guedes75santos@gmail.com. obrigado.

Justino guedes disse...

chamo-me Justino Santos tenho lido o vosso blogue, sou angolano de Luanda estou a fazer um estudo sobre a fazenda tentativa especialmente a açucareira, gostaria de saber do papel da mulheres que trabalhavam na fabrica e quanto ganhavam? espero que me possam ajudar o meu email: justinoguedes53@gmail.com. obrigado.

Justino guedes disse...

chamo-me Justino Santos tenho lido o vosso blogue, sou angolano de Luanda estou a fazer um estudo sobre a fazenda tentativa especialmente a açucareira, gostaria de saber do papel da mulheres que trabalhavam na fabrica e quanto ganhavam? espero que me possam ajudar o meu email: justinoguedes53@gmail.com. obrigado.

Luís Marques disse...

Sr. Justino Santos,
Lamento mas nós apenas estivemos durante cinco meses na Fazenda Tentativa, não tendo havido tempo para nos inteirarmos da realidade existente na Fazenda, pelo que não sabemos responder à questão que nos coloca.
Boa sorte para o seu estudo sobre a Fazenda Tentativa.
Cumprimentos.

BATALHÃO DE CAÇADORES 4611/72

BATALHÃO DE CAÇADORES 4611/72
conduta brava e em tudo distinta